COLORBLOG #ESPECIAL13
O que é educação financeira para você?
Quando falamos em educação financeira, isso nos remete a dinheiro, ou seja, bens materiais. E você deve estar me perguntando: “O que isso tem a ver com a marca que eu deixo na vida das pessoas ou na minha”?
Bom, vim te contar uma coisa que talvez não saiba: “Educação Financeira tem muito mais a ver com sua marca no mundo, do que você imagina”. Afinal, 2020 foi um ano de grandes impactos na vida de todos e, principalmente na financeira. A economia do país e mundial está aí mostrando essa catástrofe.
Se você tivesse se preparado para ter uma qualidade de vida, e tranquilidade, você teria enfrentado esse ano de forma diferente?
Sim?!
Então pronto, é disso que estou falando.
Educação financeira não é somente se preocupar em como ganhar dinheiro, e pagar contas. Não é viver para juntar dinheiro! Se você acredita que é isso, você não sabe nada sobre dinheiro.
Em primeiro lugar, temos que enxergar que, o dinheiro é bem vindo à nossa vida, e assim como qualquer coisa que você deseja, como por exemplo, saúde, paz, o dinheiro também deve ser desejado como essa energia boa.
NÃO ESTOU MALUCA, E VOU TE PROVAR E DIVIDIR A MINHA HISTÓRIA.
Meu nome é Natalia, tenho 32 anos, sou casada e mães de duas princesas. Eu e meu marido estamos juntos há 14 anos, e casados há 8 anos.
Durante 6 anos vivemos trabalhando muito, ganhando muito, mas GASTANDO MUITO. E acreditávamos que o nosso problema era o dinheiro, ou melhor, a falta dele. E aí corríamos mais ainda atrás de ganhar mais dinheiro, e o resultado era sempre o mesmo, continuávamos sem ele (quanto mais ganhávamos mais gastávamos), como em uma corrida dos ratos, onde por mais que façamos mais e mais, não saímos do lugar.
E óbvio que isso começou a afetar nosso relacionamento. Na verdade, segundo pesquisas o problema financeiro é o maior motivo de divórcio. E sabe por quê? Porque quando estamos com problemas financeiros, começa a faltar clareza e comunicação entre casal, as palavras ficam agressivas, e a preocupação pela falta de dinheiro vira pouco caso no relacionamento.
Por exemplo, quando eu falava pro meu marido que queria jantar para comemorar nosso aniversário de casamento, e ele dizia que não tínhamos dinheiro, meu pensamento era que ele não se importava em me agradar ou não me amava mais. Se eu pedia para irmos dar uma volta no shopping com as crianças, e ele dizia que não tinha dinheiro, eu achava que era falta de prioridade, porque gastava com outras coisas mas não com a gente. O silêncio dele ao chegar em casa após de um dia de trabalho, para mim significava que ele estava pensando em outra.
Consegue entender que tudo vira problema na pessoa, e não do “vilão” que está escondido alimentando toda essa confusão?!
Graças a Deus, nossa situação financeira chegou no fundo do poço, daqueles enormes que você acredita que só nascendo de novo para resolver. Então, no meio desse caos recebi um convite de um “colega” para fazer o curso de Educação Financeira. No meu pensamento aquilo era papo furado, mas a insistência era tanta que peguei o único dinheiro que tínhamos para acabar o mês, e paguei o curso escondido pro meu marido! Ele foi, lógico que emburrado, porque não acreditava que eu tinha gasto dinheiro com curso no auge da nossa situação!
Confesso que do dia que paguei o curso até a data do mesmo, a briga foi tão feia, que ficamos sem nos falar. Mas em compensação o choque de realidade foi tão impactante que ele voltou outra pessoa. Imaginem que nosso cérebro tivesse um cadeado trancado, nos limitando somente nos mesmos pensamentos, e ai quando você descobre a chave e abre esse cadeado, um mundo novo se abre! Você descobre que o único responsável pelo caos financeiro é somente você, e mais NINGUÉM. Mesmo se você me disser que tem dívidas no cartão porque emprestou pra uma amiga. Quem emprestou? E você se preparou financeiramente caso ela não pagasse o cartão? Então, tá ai a resposta de quem é culpa pela dívida...
Foi exatamente isso! Ele voltou do curso motivado, e com a solução para nossos problemas e cheio de ideias para agirmos e mudarmos as atitudes e hábitos.
Confesso que, no começo isso nos gerou outros problemas, porque na minha cabeça só precisávamos de dinheiro, e ele sabia que o que precisávamos era mudar nossa mentalidade. Porque sempre fazíamos empréstimos para quitar cartão de crédito e no outro mês já estávamos endividados de novo.
Quando eu falava: “Vamos fazer um churrasquinho hoje”?! E ele dizia que não, que teríamos que ficar um tempo nos privando de algumas coisas, isso me gerava um raiva muito grande e logo discutíamos. Mas ainda bem que ele não desistiu, foi lá e pagou o mesmo curso para eu fazer, pois o ser humano é tão teimoso, que não adianta a pessoa que está do seu lado falar, a gente só dá valor quando pagamos algo (infelizmente!).
E era exatamente o que precisava para entrarmos na mesma SINTONIA e juntos aprender a nos educar mentalmente e financeiramente!
E com o passar dos meses as contas foram entrando no eixo, e junto a estabilidade emocional. Nós como casal, começamos a remar para o mesmo sentindo e fomos quebrando tabus como: dinheiro não traz felicidade; dinheiro é coisa ruim; não quero ter muito dinheiro; dinheiro desvirtua as pessoas, só consigo algo se for parcelado, etc.
Tenho certeza que você acredita em pelo menos um desses pensamentos!  
Nada melhor na vida do que deitar a cabeça no travesseiro e acordar numa pandemia sem DESESPERO!
Foi exatamente isso que nos aconteceu! A pandemia afetou muita gente, e se não fosse a nossa educação financeira ter iniciado há dois anos, eu não sei o que teria acontecido com a gente nesse 2020.
Conseguimos continuar a vida de forma tranquila, e ajudando no sustento dos meus pais, do meu sogro e de mais algumas pessoas como a moça que trabalhava aqui em casa.
Eu sempre falo que a minha “pandemia” foi em 2018. De repente eu perdi meu emprego, e meus amigos foram embora junto com a minha mudança de casa com piscina para um apartamento de um único banheiro. Foi um isolamento social, meu “LOCKDOWN”. Ninguém mais ia me visitar, e nem faziam questão da minha presença nas incansáveis festinhas!
(Hoje dou Graças a Deus!)
Aí que entra a maior construção da minha vida. Não tem nada melhor do que aprender a se bastar com sua família. Não tem nada mais delicioso do que um relacionamento saudável, e voltar a sentir admiração um pelo outro. Não tem nada mais gratificante do que poder dormir sem preocupação de no dia seguinte precisar comprar remédio caso minhas filhas fiquem doentes. É saboroso quando podemos passar um final de semana todo descansando na tranquilidade do nosso lar sem se preocupar com boleto que irá vencer na segunda-feira. Recuperamos as noites de insônia e reaprendemos a sonhar e juntos construir caminhos para realizar essas metas!
Portanto, o que eu quero deixar aqui para vocês é que Educação Financeira nada mais é do que QUALIDADE DE VIDA. Ou seja, o equilíbrio entre viver o hoje de forma prazerosa e ao mesmo tempo obter um futuro seguro.
Não existe uma construção interna, sem paz e tranquilidade. E precisamos aprender a enxergar sem preconceito, que o dinheiro faz parte disso tudo, pois ele não serve para nos trazer felicidade, mas sim, SEGURANÇA.
E é aí que entra meu propósito de vida, poder mostrar para todo mundo que existe solução para seu problema financeiro. Basta estar disposto a enfrentar tudo, inclusive seus próprios pensamentos sabotadores, pois ocorrerão aos montes. O processo é lento e você vai cair algumas vezes, mas PERSISTA.
Levar motivação, conhecimento e luz no fim do túnel das pessoas, é o que me movimenta. É o meu processo de construção diário. Principalmente nesse ano de 2020, onde muitos barcos afundaram, e alguns ainda estão tentando sobreviver na maré, pois nunca estivemos no mesmo barco, apenas na mesma tempestade.
E agora que a maré deu uma acalmada é hora de pensarmos no que você quer construir na sua vida. Como você quer o próximo ano? Qual é o movimento interno que você está fazendo para melhorar a sua vida e consequentemente as das pessoas em sua volta? Como vou me preparar para futuras crises?!
Eu te digo que a pandemia me afetou sim emocionalmente, principalmente em ver pessoas tão queridas passando por dificuldades. Mas, o que me fez passar por isso com sanidade mental, foi a oportunidade de ajudá-los.
2020 foi um ano de resiliência para todos nós! E do dia pra noite tivemos tudo aquilo que pedíamos:
Tempo livre;
Mais horas dentro do seu dia;
Um home office;
Momentos de sobra para curtir os filhos;
Muitos tiveram que se forçar a economizar e pensar no futuro;
Tivemos nossa fé de volta. Penso que Deus, nunca foi tão lembrado e  aclamado como nos últimos meses.
Aprendemos o verdadeiro significado da palavra EMPATIA;
Desvendamos nossos olhos para aquilo que realmente tem VALOR nas nossas vidas;
Sendo assim, eu te pergunto: se passássemos por outra situação parecida, como você enfrentaria? O QUE VOCÊ TEM CONSTRUÍDO PARA DEIXAR SUA MARCA NO MUNDO?

Natália Zago
@maequeinvest